Quando vemos uma pessoa pela primeira vez, inconsciente e instintivamente formamos uma ideia generalizada sobre ela. É a chamada primeira impressão.

O seu rosto transparece para a pessoa com quem você está interagindo mais da metade de toda a informação que ela está captando de você, também devendo ser considerados a movimentação corporal, estatura e o modo como está vestido.
Isso tudo somado a sua expressão facial e como você  gesticula formarão, em um pouquíssimo espaço de tempo uma opinião completa sobre você. Embora apenas uma impressão inicial, isso pode definir os rumos de sua interação futura com essa pessoa.

É claro que, havendo oportunidades, você terá a devida chance de mostrar quem  realmente é, mas basicamente esse primeiro contato pode sim diferir e muito de quem de fato somos e alterar o modo como nossa interação inicial se dá. Isso faz muito sentido, por exemplo, quando somos apresentados a alguém ou estamos em uma entrevista de emprego.

A primeira impressão também pode se dar dependendo do que a outra pessoa vê ou obtém de você, como por exemplo a voz. Uma voz mais grossa poderia indicar alguém mais velho ou rude, quando na realidade isso pode ou não ser verdade. Um contexto em que essa situação poderia ocorrer seria quando nos comunicamos com alguém por telefone ou estamos em uma sala aonde em outra encontra-se algum desconhecido.

É preciso tomar um pouco de cuidado com a primeira impressão, pois podemos cometer erros drásticos de julgamento precipitado. Uma pessoa pode ser exatamente o oposto daquilo que você imaginou.

Essa habilidade do nosso cérebro de juntar todas as informações coletadas em alguns segundos (cerca de 7) e devolve-las na forma de uma opinião é um resquício de nossos instintos primitivos, quando precisávamos identificar rapidamente se alguém que se aproximava era ou não alguém hostil.

Hoje em dia, no mundo civilizado em que vivemos, isso pode ser um pouco desnecessário. Entretanto, ainda assim é um poderoso recurso de previsão, pois embora possamos cometer erros, também acertamos, e como dizia nossa avó: ” é melhor prevenir do que remediar “.

Entre as informações colhidas pelo nosso cérebro durante essa exposição inicial estão:

  1. a região da testa: franzir a testa ou levantar as sobrancelhas, indicando hostilidade ou leveza;
  2. os lábios levemente em forma de sorriso passam uma ótima impressão ou pelo contrário, indicando uma personalidade não tão amigável;
  3. as expressões ou rugas do rosto que possuímos, ainda que jovens são resultantes dos movimentos da face mais frequentes e revelam nossa personalidade, positiva ou negativamente

As redes sociais são uma outra forma de imaginar alguém de um jeito muito distante daquilo que de fato aquela pessoa é, pois com tantos efeitos especiais disponíveis e o poder de escolher de o que e quando postar conseguimos alterar drasticamente nossa imagem e estilo de vida diante de pessoas que eventualmente visitam nossos perfis online.

Primeiras impressões através de imagens publicadas nas redes sociais

Num resumo, formamos nossa primeira impressão em cerca de 7 segundos automaticamente, porém jamais devemos confiar totalmente nela nessa fase inicial.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.

www.000webhost.com